A boa embalagem pode revitalizar o produto e a empresa!

O Instituto de Embalagens marcou presença nas últimas edições do SIAL e da ANUGA, principais feiras internacionais da indústria de alimentos e bebidas, para conferir tudo que foi importante e estudar como as embalagens poderão contribuir no desenvolvimento desses mercados aqui no Brasil. Para entender melhor a importância da embalagem em todo esse contexto, o Instituto visita, por ano, pelo menos dois países que não visitou antes para conhecer outras culturas, outros mercados consumidores e a influência disso tudo nas embalagens que fabricam.

Em outubro, em visita aos pontos de vendas da França e do Marrocos, constatamos que assim como nas visitas realizadas à Alemanha, Bélgica e Croácia em maio, à Austrália e Nova Zelândia em janeiro e de norte a sul do Brasil ao longo deste ano, as grandes tendências rumam para o mesmo sentido.

Nessas pesquisas, observamos que grandes mudanças vêm definindo um novo perfil de consumo. Estamos falando do aumento das populações dos países do Leste e do Oriente, assim como do incremento no número de habitantes urbanos em relação aos rurais; do crescimento geral da expectativa de vida; dos novos grupos de consumidores como os kids, teens e a terceira idade, além dos grupos menores e das tribos diversificadas; e da, talvez, maior de todas as mudanças: o novo papel da mulher que altera radicalmente as necessidades das embalagens, pois elas já são maioria na população. Decidem ou orientam as compras.

Atualmente a mulher tem assumido um novo papel na sociedade, sendo, em muitos casos, o pilar da família. A estrutura familiar se modificou e, hoje, os dois trabalham fora. Tanto o homem quanto a mulher permanecem solteiros por mais tempo, e há um aumento do poder de decisão por parte das crianças. As horas de trabalho aumentaram mesmo com a disponibilidade das novas tecnologias e muitas pessoas têm seguido um ritmo de dupla jornada e, em todos esses casos, há menor disponibilidade para as atividades domésticas demandando, assim, produtos muito mais práticos de ser consumidos e embalagens funcionais.

Observem a proposta do salaminho para crianças, com abertura e uso fácil fazendo com que as crianças tenham acesso ao produto desde cedo e, com isso, adquiram o hábito de ingerir este tipo de proteína desde muito cedo.

São cinco, dentre as principais preocupações dos consumidores, que geram macrotendências, e as embalagens devem atendê-las: conveniência; saúde; segurança; estilo de vida (autoindulgência); e a questão da sustentabilidade. A necessidade de conveniência consagrou as embalagens que atendem à demanda de consumir em trânsito, com a possibilidade de levar a comida para onde for preciso, ou seja, os conhecidos produtos on the go. As embalagens para esses produtos devem ser fáceis de abrir e fechar; ir direto do freezer ao forno convencional ou de micro-ondas; ter porções unitárias ou pequenas; ser práticas; comportar num só produto acompanhamentos para agregar serviços e soluções, os chamados all together (colher, canudinho, molho, palitinho etc. – os acessórios); acompanhar o estilo de vida e se adaptar às novas situações de consumo: food to go, hands free, mobilidade (viagens); e, sobretudo, considerar os novos grupos: crianças, idosos e portadores de deficiência, entre outros.

Notem a qualidade de impressão dos fatiados de peru da Fleury Michon. O efeito mate (fosco) aumenta a percepção de nobreza. A embalagem é fácil de abrir, pode ser refechada e traz apenas 2 fatias. Atenção especial para as pessoas que moram sozinhas e para as pequenas famílias. Com este pote de papelcartão da Belle France é possível consumir o aperitivo até na loja de conveniência. É só deixar por 50 segundos no micro-ondas. Acompanha palitinho.

Os aperitivos de salaminho em porção adequada (apenas 75 g) são de tamanho que cabem na boca (se intitulam “one bite only”) e perfeitos para ser degustados em casa, no escritório ou no caminho.

A preocupação com a saúde e segurança é claramente perceptível quando observamos as pessoas olhando a data de validade dos produtos e as tabelas nutricionais no ponto de venda. Os consumidores estão dedicando tempo para buscar essas informações e verificar os lacres e tampas, constatar a resistência do material e a qualidade do produto entre outros aspectos. Com isso notamos: maior foco em saúde e nutrição; preocupações com teores de lipídios, carboidratos, açúcar, colesterol e sódio, entre outros; diversificação das fontes de proteína; e a busca pelos orgânicos, pelos naturais, por produtos frescos.

E atender a essas preocupações começa por: informar mais e melhor (datas, tabelas, etc.); ter mais higiene; utilizar tamper evidence (lacres invioláveis) ou child proof (à prova de crianças) e outras opções de segurança; além de oferecer produtos frescos por mais tempo ou com maior vida de prateleira (shelf life), utilizando, por exemplo, a tecnologia MAP (Embalagem com Atmosfera Modificada).

Sem dúvida, questões sobre barreiras ganham importância e evidência e existem muitas pesquisas e progressos para todos os materiais com barreiras à luz, UV, água, vapor de água, pó, insetos, fungos, gordura, gás carbônico, oxigênio, etc.

Produtos de proteína de peixe têm tido forte demanda, como no caso deste lançamento português, de hambúrguer de atum. A embalagem é de estrutura flexível e laminada com alumínio, dispensando a cadeia de frio, e o cartucho demonstra bem claramente do que se trata e, assim, a empresa ganha destaque dentre os produtos da mesma categoria.

Além da procura por produtos convenientes, práticos e que preservem e garantam nossa saúde com segurança, ao mesmo tempo em que trabalhamos mais, nos sentimos no direito de nos presentearmos com as nov

as opções. A compensação é a tendência que podemos identificar em produtos relacionados a prazer.

Produtos com maior valor agregado: a Del Pacha oferece aos seus clientes o “Chawarma” quase pronto para ser facilmente consumido. O recheio vem numa embalagem multicamada termoformada envolvida por uma luva de papelcartão, com uma bela produção fotográfica na frente e as instruções de preparo no verso. Observe o destaque de que se trata de um produto “HALAL”, mostrando a força dos produtos étnicos.

Existe muita oferta de produtos premium, exóticos e étnicos, e é interessante mesmo que o produto se comporte como um prêmio ou mesmo uma celebração para o consumidor que quer encontrar glamour, exclusividade, ter produtos com sofisticação e que demonstrem poder e status, já que está em jogo a máxima do “eu mereço”.

O atendimento a essa demanda pede uso e abuso de cores, transparência e, sobretudo, a valorização do sentido visual, capaz de despertar o appetite appeal. Muitos produtos frigoríficos são adquiridos para ser encaminhados como presentes e têm uma embalagem especial que agrega valor à ocasião e ao produto. Notem, por exemplo, a bela produção fotográfica utilizada para este salame marroquino. Vale destacar que a embalagem é multicamada com tampa abre e fecha funcional, conferindo um aspecto bonito, além de seguro e prático.

Já os espanhóis do mundo todo podem desfrutar de momentos especiais degustando suas Tapas preferidas, pois a Espanha está exportando para o mundo todo, numa solução conveniente, mini brochettes em variadas versões, todas com apresentações tentadoras.

A questão da sustentabilidade tem tido espaço em todos os países. Assim, cabe, ao menos, que as embalagens: usem o correto símbolo do material utilizado para facilitar a coleta e a disposição; sejam analisadas desde o projeto até o seu descarte, ou seja, até a disposição e seus impactos ambientais; e aproveitem para falar de responsabilidade social e ambiental em sua própria superfície, com símbolos, ícones e outros recursos.

As empresas que estiveram atentas às tendências e quiserem investir em inovação e adequarem as suas embalagens agregando serviços e valores que os consumidores buscam pensando em conveniência, praticidade, segurança e sustentabilidade, estarão à frente no desenvolvimento dos seus projetos e conseguirão alavancar seus negócios por meio da competitividade.

Visitando os diferentes países concluímos que as empresas brasileiras estão num excelente momento para rever suas posições, design; desenvolver novos itens, sempre procurando entender e considerar toda a cadeia e entregar no ponto de venda e no varejo possibilidades impactantes para cada situação e região.

Em resposta a essa necessidade, o Instituto de Embalagens promoverá, em março do ano que vem, um workshop sobre Inovação, para ajudar a indústria a ter uma visão mais ampla sobre a real importância de ser competitiva para se firmar em 2013.

Perdem mercado e oportunidade as empresas que insistem em vender carne in natura ou produtos orgânicos sem a embalagem que poderia valorizá-los. A nova sociedade impõe produtos melhores, práticos, bonitos, saudáveis, seguros e ambientalmente sustentáveis. Embalagem melhor. Mundo melhor!

Compartilhe:

Para mais informações, entre em contato conosco!
Este site é protegido pelo reCAPTCHA e pelas Políticas de Privacidade e Termos de Serviço do Google.