Novidades mundo afora

Em todos os lugares do mundo, como acontece aqui no Brasil, as embalagens que atendem aos desejos dos consumidores se transformar em sucesso e crescem.

Estivemos presentes nas últimas grandes feiras de embalagens mundiais: InterPack, MetPack, Emballage, IPA, Chinaplás e PackTeck(Índia), apenas para citar as principais.

Além de participar das mostras e dos eventos paralelos, talvez o mais relevante seja a pesquisa que fizemos, procurando embalagens inovadoras e interessantes em vários pontos-de-venda, tais como supermercados, homecenters, drugstores, farmácias, pequenas lojas de conveniência e lojas de departamento. Ver ao vivo e em cores os consumidores fazendo suas escolhas em palcos diferentes é um rico laboratório, que exige paciência, olhar atento e muita disposição.

Essas viagens apresentam novidades, divulgam tendências e inovações em design, materiais, máquinas, processos e consumo.

Informação e conhecimento em tempos de crise e de incertezas é ainda mais primordial, não para vermos e copiarmos, mas para ver, saber, entender e procurar atender aos anseios do consumidor. 

Saber e entender o que está acontecendo no mundo serve de referência, de parametro para o que possamos desenvolver, para pensarmos novas aplicações, novos limites, um grande laboratório de insights. Essas grandes feiras têm investido em conteudo, trazendo espaços novos, fóruns, debates e seminários.

Na InterPack, houve um hall todo dedicado à inovaçao (Innovation Parc Packaging) e a novos materiais, sinalizando a importência desses temas para a sociedade.

Na ChinaPlas, materiais de fontes renováveis também foram destaque.

Na Emballage, foram criados o Espaces Tendances, locais dedicados à inovação, que agruparam as tendências em cinco grupos (seguras, práticas, ecológicas, rentáveis e diferentes).

Informação e conhecimento em tempos de crise e de incertezas é ainda mais primordial.

 Além disso, montaram o Espace Bio Materieux e de desenvolvimento sustentável. Foram duas áreas integradas, criadas para reunir expositores que tinham produtos para atender à mais nova demanda da sociedade, demonstrando o peso da questão atualmente.

Alguns destaques das feiras

As principais tendências em embalagens não mudaram. Mas sempre há lançamentos – os highlights, break throughts, ou seja, os pontos altos e as rupturas de conceitos. Difícil selecionar apenas alguns deles, mas destacamos algumas:

– Aplicação de rótulos auto-adesivos em bisnagas (squezzeable) e em latas de aço e alumínio com nível de decoração e sofisticação inimagináveis.

– A tecnologia do IML, in mold label, ou rótulo dentro do molde, definitivamente foi a tecnologia de decoração de potes e copos dominante, não só na feira como nos pontos-de-venda. Surpreendeu a aplicação de IML até em potes termoformados em ffs (form fill and seal)

– Os termoencolhíveis também tiveram seu lugar de destaque, principalmente os half sleeves (rótulos parciais), os lançamentos com linguagem Braille, os minis (para decoração de pequenos potinhos de vidro) e os termoencolhíveis com bio material, feitos com filmes de PLA, e, por fim, os termoencolhíveis com relevos, como peles de cobras e outros aspectos sensíveis ao tato.

– Apareceram (de novo) propostas de bisnagas formadas, ou shaped dispensing tubes, desta vez com maiores possibilidades de cores e formas.

Nos pontos-de-venda, encontramos exemplares de bisnagas produzidas já com a tampa. No mesmo processo, essa tampa falsa, após a “quebra”, vira uma tampa.

Não é só em países em desenvolvimento que se criam embalagens competitivas: as bisnagas produzidas com tampa estão sendo utilizados para cremes de tratamento da Schwarzkopf, marca famosa e requintada da Alemanha.

Embalagens nos pontos-de-venda

Das andanças pelos pontos-de-venda vêm as maiores pérolas, além do que são incontestáveis, pois já estão à disposição dos consumidores.

Destacamos algumas que representam as grandes tendências:

– A pulseira para protetor solar, um frasco em polietileno em formato de “U”, que pode ser colocada no braço, liberando a mão do consumidor. É uma embalagem fácil de ser carregada, também conhecida como “hands free”.

– Outra embalagens alinhada com praticidade é a desenvolvida para o Creme para Área dos Olhos da Garnier – o frasco é praticamente um cabo, com excelente e delicada empunhadura, e o aplicador, no lugar da tradicional bisnaga, tem uma bolinha de aço inoxidavel parecido com um roll-on, pequena, mas com grande efeito, já que o creme é entregue à medida que massageia a região com a bolinha geladinha – experiência agradabilíssima!

Saber e entender o que está acontecendo no mundo serve de referência.

Embalagens de papelcartão fizeram a festa e a decoração das lojas nas categorias de chocolates, brinquedos e, principalmente de cosméticos, usando formatos alternativos ao quadrado. Lá, esbanjam criatividade nas embalagens temáticas.

Reinando absolutas, também, as embalagens promocionais

Aliás, as embalagens promocionais estão sendo muito utilizadas: até mesmo a famosa cafeteria Fauchon aderiu a elas!

Pudemos observar, ainda, muitas embalagens que eram praticamente um presente junto ao presente, tamanha a sofisticação que apresentavam! Destaque para bebidas e perfumes: cada dia mais sofisticados, elegantes e charmosos.

Houve, também, democratização no uso de substratos: nota-se uso de PET e PP em muitas embalagens de “cartuchos”.

Cores, metalizações, formas, formatos e acessórios também fazem nossos olhos brilharem, tamanha a diversidade oferecida nas gôndolas.

Os cartuchos dos produtos cósmeticos dão um show a parte. Observe-se o creme da Nivea, na foto da página anterior: a imagem da bola de metal tem efeito 3D. Note-se, ainda, o detalhe da faca do cartucho que garante um perfeito posicionamento.


O cartucho do INNEOV, representando os cosméticos, utiliza uma lapela para aumentar seu poder de fogo no ponto-de-venda.


A Johnson & Johnson lancou uma caixinha de lubrificantes (também na foto da página anterior). Parece simples, mas até as embalagens de lubrificantes em sachês ficam mais valorizadas numa caixinha!
Janelas nas embalagens passam a ser mais aplicadas, não apenas para mostrar o produto, mas para facilitar a comunicação num mundo globalizado. Além do que esse recurso pode agregar beleza e graça às embalagens, como na do batom Estée Lauder.


Quando uma janela não cabe, usam-se outros recursos como visores em frascos especialmente soprados com bi-material, que permitem que uma parte do frasco seja transparente, caso do protetor solar da Garnier.


Os rótulos auto-adesivos estão cada vez mais presentes em cosméticos, fármacos, alimentos e, ainda, mais sofisticados, com hot-stamping, serigrafia, relevos, facas especiais etc., agora decorando até as bisnagas!


Na França, as formas e formatos se destacam: até marca própria está utilizando. Há até estrelas para as crianças brincarem no banho!


Na Alemanha, há embalagens cada vez mais hi-tech, apresentando tampas, acessórios, trickers, bi-injeção e sopro de duomaterial, tudo para agregar serviços.

Na Índia e na China, muitas embalagens econômicas e shachês, mas, também, muitas embalagens charmosas, tradicionais e elegantes.


Poderíamos resumir como principais tendencias:


Transparências: Frascos transparentes, visores, janelas, reservas em metalização, frascos e materiais translucidos, enfim efeitos que permitem ver ou imaginar o conteúdo – exemploa disso são o protetor solar da Garnier e os cartuchos de plástico.


Recursos especiais de decoração: Hot-stamping, holografia, efeitos de impressão, cores e brilhos ou ausência dele, criando a diferenciação no imaginário – melhor exemplo é o cartucho do Nivea para olhos.


Serviços: Tudo o que pode facilitar ao consulmidor a aplicação ou uso, tais como: sprays, aplicadores, rolos massageadores na tampa – melhor exemplo é o creme para area dos olhos da Garnier.


Formato: Sempre que possível usam-se as formas para conferir estilo, destacar, contar a performance ou a inspiração do produto – melhor exemplo é o óleo da Nivea, com cor, forma e transparência.


Cores: Comunicam imeditamente aos olhos do consumidor e, daí, ao coração. Apropriar-se de uma determinada cor pode ser seu diferencial de comunicação. A cor inspira, define. Ao usarmos uma bisnaga metalizada, estamos dizendo que o produto é de tecnologia e, assim por diante – melhor exemplo é o Perle de Soin da Tahiti, que associa cor à forma.


Conveniência: A vida atual pede praticidade e conveniência. Então, produtos que facilitam a vida do consumidor levam vantagem – melhor exemplo é a pulseira de protetor
solar da Piz Buin.


Meio Ambiente: Existe uma preocupação real com o final, com a destinação dos produtos e das suas embalagens. Então, embalagens que estão usando produtos reciclados, recicláveis e de fonte renovável têm vantagens aos olhos atentos de grande parte da população – melhor exemplo é o batom da linha Body Shop, que une polipropileno com madeira)


Aspectos econômicos: Tão importante quanto a ecologia é a economia. Assim, embalagens devem se adequar ao bolso dos consumidores, senão serão apenas propostas, ou atendenderão somente a parte deles. E há um desafio enorme de atender a cada vez mais consumidores – melhor exemplo são os sachês unitários usados na Índia.


Procuramos destacar o que entendemos ser mais expressivo para o maior número de leitores. Porém, se precisarem, temos mais material disponível. Nosso site: www.institutodeembalagens.com.br.

Compartilhe:

Para mais informações, entre em contato conosco!
Este site é protegido pelo reCAPTCHA e pelas Políticas de Privacidade e Termos de Serviço do Google.