Os “5 S” da Interpack 2011

A cada edição, a maior e mais internacional feira de embalagens apresenta tendências que têm se confirmado e são aplicadas na sequência do evento mundo afora e aqui não deve ser diferente

A interpack 2011, já com 53 anos, se consolida como a maior e mais importante feira internacional de embalagens. Essa edição foi uma das mais bem-sucedidas. Foi visitada por mais de 166 mil visitantes e reuniu 2.700 expositores de 60 países distribuídos nos 19 pavilhões do espaço de feiras de Düsseldorf. Os visitantes puderam confirmar a importância de cinco temas: save Food, sofisticação; segurança, saúde e sustentabilidade.

Save Food
O lançamento do projeto Save Food, que visa combater a perda de alimentos no mundo, organizado pela Messe Düsseldorf, em cooperação com a Organização de Alimentação e Agricultura (FAO) das Nações Unidas, reuniu mais de 300 congressistas de todo o mundo, de todos os elos da cadeia de valor alimentar, desde produtores e da indústria de embalagens até os varejistas e representantes da política, as organizações da sociedade e não governamentais. Como sobre esse programa falamos na edição anterior, abordaremos seus desdobramentos e iniciativas que teremos aqui no Brasil oportunamente.

Sofisticação
A sofisticação em várias apresentações como nos processos de decoração: rótulos in mold label (IML) para peças injetadas, com janelas especiais, rótulos IML de papel cartão ou papel como a Alfa®, com altíssima qualidade de impressão. A Superfos® apresentou novamente potes e baldes com rótulos ainda mais bem impressos, metalizados e tampas com abertura fácil. A chinesa Zhongya® trouxe potes termoformados em poliestireno (PS) com IML para iogurtes, com espessura baixa e muita precisão. A Van Dam® não deixou por menos. Ela provou que a impressão por dry off set ainda tem espaço na decoração, com copos impressos com tinta metalizada e belas frutas. Rótulos termoencolhíveis como os da Sleever® com possibilidade de texturas diversas: pedra, tecidos, entre outras. A Cricket® (isqueiros) criou coleções com decoração baseada nessa novidade, que tem até tinta especial para brilhar em luz negra! Essa edição da feira marcou também a volta das embalagens metálicas à exposição. Num espaço dedicado a elas, o Metal Embalagem Plaza apresentou muita qualidade, formatos especiais, janelas com plásticos ou vidro, impressões diferenciadas e relevos espetaculares. Um dos destaques eram as garrafas de alumínio, como a da edição especial para a Coca-Cola®, do estilista Karl Lagerfeld. As latas de alumínio impressas com tecnologia digital de alta qualidade vieram para provar que escala de impressão não é mais um limitante. Para garrafas metálicas e de vidro, a Crown Cork® do Japão apresentou novamente as tampas MAXI-P®, agora com possibilidade de mais cores e inserto de plástico para facilitar a abertura. A Ball® apresentou a lata impressa com tinta termocrômica para avisar o consumidor que a temperatura está adequada. Um brinde de sofisticação. Em termos de aplicações, destaque para a lata de aço espanhola (embora pareça uma garrafa), muito elegante para azeite, e a latinha dinamarquesa para preservativos da Durex® com impressão sofisticada e discrição. A lata para decoração japonesa que imita uma “Matrioska ou Babuska” embala o produto e vira objeto de decoração!

A Heidelberg®, tradicional indústria de máquinas gráficas, estreou na Interpack, trazendo máquinas compactas e a opção de impressão digital de olho no crescente mercado de média e pequena escala. A HP® montou na área externa da feira um pavilhão que simulava um supermercado, com todos os produtos decorados com impressão digital: embalagens flexíveis em diferentes estruturas, rótulos, tubos, bisnagas, cartuchos, garrafas e latas. A julgar pelas proporções do supermercado, com certeza, essa opção de decoração deve continuar a crescer. As bisnagas que a cada dia têm suas aplicações ampliadas também buscam diferenciação. A UFLEX® apresentou o “flexitube”®, primeiro tubo holográfico. A bisnaga com decoração primorosa da VOGUE® é uma extravagância!

Segurança e Saúde
Muitas vezes essas duas propostas se confundem, por isso reunimos as propostas juntas. A Rexam® apresentou as embalagens “twist”® com um sistema para recravar perfumes que permite, após o uso, a separação dos acessórios (válvulas) para reciclagem. Porém, a tampa não pode ser recravada novamente, evitando assim a possibilidade de refilamento indevido. (aqui temos um dos S de sustentabilidade e segurança). Outro lançamento da empresa são as embalagens de remédios que avisam com alarme sonoro o horário de ingerir o comprimido. A Multivac® mostrou um novo conceito de máquinas de alta pressão (HPP) para aumentar a segurança do processamento dos alimentos. Aliás, lá na Alemanha, já é obrigatório que produtos, como embutidos, tenham uma embalagem barreira, não só a tripa, como ainda é muito comum por aqui. Mais saúde e segurança para os consumidores. A Wipak® mostrou uma possibilidade de reduzir erros na compra. Ela lançou embalagens que falam por meio da inserção de um pequeno chip, que depois é “lido” por uma “caneta”. Essa caneta fica à disposição dos consumidores nos carrinhos de compra ou nas prateleiras dos supermercados. A ideia é diminuir a quantidade de informações a serem impressas na embalagem e tornar as embalagens mais “amigas” dos compradores. Em relação às amostras, a Sarong® divulgou a linha unidose em tiras produzidas por termoformação. Essa opção é muito competitiva para uso como amostras ou dose única de medicamentos ou alimentos de forma muito segura e higiênica, portanto, saudável. A Mespack® oferece opção

para essa aplicação em embalagem flexível pequena com um bico (tampa) prático e econômico, portanto, muito atraente para os emergentes.

Sustentabilidade
A questão sustentabilidade dominou o pavilhão dedicado aos materiais, o de número nove. Lá, em cada estande, os expositores tentavam mostrar que seu produto era mais sustentável do que o outro, ou que tinha alguma vantagem em relação aos demais nesse quesito. As inovações estavam presentes em todos os sentidos: menores espessuras, menor peso específico, menor quantidade de material; substituição de algum material para tornar a solução monomaterial; maior uso de material de fonte renovável, ou material reciclado reutilizável, ou mais facilmente reciclável ou menor gasto de água ou energia para ser obtido.

A nova proposta da CCL Label licenciada para a Krones® fez sucesso em função da economia de 40% de redução na pegada de carbono. Os rótulos de PE – chamados de Super Stretch Sleever – são esticados para entrar e depois soltos para o ajuste na embalagem em vez de entrar folgado para depois serem encolhidos por calor. O mesmo conceito foi utilizado pelas grandes máquinas unitizadoras, em vez de unitizar envolvendo num filme esticável, os paletes são “vestidos” por grandes sacos esticados por dentro, que depois da saída dos garfos que esticam o saco ou tubo, se ajustam ao palete montado. A KHS® apresentou uma nova forma de empacotar os multipacks de 6 ou 12 latinhas, “desconfigurando” os pacotes, antes regulares, para diminuir o deslizamento entre eles e aumentar a segurança do transporte e reduzir a necessidade de filmes extras. A Sipa® apresentou a Bottleless®, um trocadilho para sua nova garrafa de menor peso total. A tampa é mínima e a sensação, realmente, é de que não há garrafa. A Wipak® apresentou a embalagem para bandejas de frios: a parte de baixo em papel cartão resinado e o filme superior de plástico laminado com papel, porém com janela. Um show! A Plasticum® apresentou a Clube®, uma bisnaga com tampa acoplada, produzida num mesmo processo. A tampa é injetada e moldada no corpo da bisnaga, ganhando uma etapa, portanto, tornando-a mais competitiva. A empresa alega que usa 40% menos material. Aliás, outra inovação das bisnagas é que elas podem ter a linguagem braille no corpo da bisnaga. Excelente desenvolvimento para muitos deficientes visuais. A Paper Machinery Company PMC® mostrou novos copos de papel. Muitos com janelas transparentes, atendendo a necessidade cada vez maior de visualização do produto. A Rexam® apresentou os frascos com sistemas de propulsão sem uso de gases propelentes, a linha NEA airless. A Starlinger® aposta na crescente demanda por sacolas retornáveis econômicas. Ela apresentou a nova máquina com alta capacidade de produção. A sacola retornável tem menor peso, com excelente capacidade para compras.

Em relação às embalagens flexíveis, sem dúvida, a maior estrela foram os “bricks pouchs” ou garrafas de embalagens flexíveis, assépticas ou não, lançadas na feira Pack Expo, em Chicago, em novembro do ano passado. Elas atraíram muitos interessados numa alternativa clara às embalagens cartonadas: menos material e, portanto, mais leves. Essas garrafas tinham propostas em vários estandes: Bosch®, Volpak®, ACMA®. A Huhtamaki® continua apostando na Cyclero®, a lata flexível. A Danone® lançou e distribuiu na Interpack o iogurte Activia®. O pote foi desenvolvido com plástico de fonte renovável e tem na tampa a inscrição: Esse iogurte tem um pote amigo do meio ambiente, que foi produzido com 93% de material de recursos renováveis. A WWF estampa também a tampa, apoiando a iniciativa. É claro que cada tipo de embalagem procure novas aplicações ou novas alternativas para competir, o que faz do estudo das embalagens um desafio constante e dinâmico, absolutamente apaixonante. Aqui, cada movimento precisa ser pensado, e rápido, pois cada vez mais é necessário alimentar mais pessoas, ganhar mais mercados, sermos mais competitivos. O desafio exige monitoramento constante do conhecimento disponível e da criatividade de cada um. Pensar fora do quadrado é cada vez mais indispensável. Sucesso depende de trabalho focado e atento.

Compartilhe:

Para mais informações, entre em contato conosco!
Este site é protegido pelo reCAPTCHA e pelas Políticas de Privacidade e Termos de Serviço do Google.