Saúde e a nova rotulagem nutricional das embalagens

Assunta Napolitano Camilo

A tendência irreversível dos consumidores com a preocupação com a saúde atingiu em cheio a indústria alimentícia. Isto fica claro com a atenção …

A tendência irreversível dos consumidores com a preocupação com a saúde atingiu em cheio a indústria alimentícia. Isto fica claro com a atenção cada vez maior da população, que passou a consultar as tabelas nutricionais exibidas nas embalagens, lendo-as com cuidado e comparando informações com outros produtos ou com aqueles exibidos na internet. O avanço é tão evidente que até garrafas de água mineral estão merecendo a atenção em suas tabelas nutricionais. Em outros países da América Latina as tabelas nutricionais já são realidade, indicando as quantidades de sódio; açúcar e gorduras dos produtos alimentícios.

Na Europa, a aplicação do NUTRI-SCORE – avaliação do perfil nutricional dos alimentos impressos na parte frontal das embalagens – ganhou força até nos invólucros de produtos de marca própria de redes de supermercados. O esquema de rotulagem nutricional Nutri-Score foi desenvolvido pela autoridade francesa de saúde pública, em 2017, e passou a ser utilizado em toda Europa.

No Brasil, após anos de discussão a ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária aprovou norma sobre rotulagem nutricional de alimentos embalados, adotando a rotulagem nutricional frontal, um conjunto de símbolos informativos sobre o conteúdo dos nutrientes relevantes. Um design em forma de lupa (vide quadro) irá identificar o teor de açúcares adicionados, gorduras saturadas e sódio. O símbolo deverá ser aplicado na frente do produto, na parte superior, por ser uma área facilmente capturada pelo olhar.

A tabela de Informação Nutricional passará ainda por mudanças significativas. A primeira delas é que terá apenas letras pretas e fundo branco. O objetivo é afastar a possibilidade de uso de contrastes que atrapalhem na legibilidade das informações.

As informações disponibilizadas na tabela também sofrerão alteração. Passará a ser obrigatória a identificação de açúcares totais e adicionais, a declaração do valor energético e nutricional por 100 g ou 100 ml, para ajudar na comparação de produtos, e o número de porções por embalagem. A tabela, além disso, deverá ficar, em regra, próxima da lista de ingredientes e em superfície contínua, não sendo aceitas quebras.

As novas regras para rotulagem de alimentos entram em vigor em outubro deste ano e tem o objetivo de oferecer uma ferramenta simples para o consumidor comparar e decidir o que quer para si.

Compartilhe:

Para mais informações, entre em contato conosco!
Este site é protegido pelo reCAPTCHA e pelas Políticas de Privacidade e Termos de Serviço do Google.