Sem mais desperdícios dentro das embalagens

E studantes de doutorado do Massachusetts Institute of Technology (MIT – em português: Instituto de Tecnologia de Massachussets) desenvolveram uma nova tecnologia chamada LiquiGlide® para resolver um problema muito comum: usar o ketchup da embalagem até o final. A nova tecnologia consiste em um revestimento que pode ser aplicado em embalagens de plástico, vidro, metal ou cerâmica, com propriedades que não deixam o produto aderir nas paredes do frasco, fazendo com que haja um “escorregamento”. Esse revestimento é produzido com componentes já aprovados pelo Food and Drug Administration (FDA), órgão americano que regulamenta produtos que podem ter contato com alimentos.

Como cada revestimento é único, é possível aplicá-lo tanto para materiais de bens de consumo e para setores industriais, quanto em tubos de escoamento, plantas de energia, indústrias químicas, entre outros. Nesses casos, o LiquiGlide pode auxiliar na diminuição da energia gasta para transportar fluidos, além de reduzir o tempo de limpeza de equipamentos.

A ideia surgiu de repente, enquanto a equipe trabalhava no desenvolvimento de uma substância para retirar a neve em asas de aviões. “De alguma forma, surgiu a ideia de colocá-lo em garrafas de alimentos. Poderia ser ótimo, apenas por suas propriedades escorregadias. Além disso, a maioria das outras aplicações tem um tempo muito maior no mercado; nós percebemos que poderíamos fazer este revestimento para garrafas”, afirmou Dave Smith, estudante de doutorado do MIT.

Para as indústrias de bens de consumo/alimentos, podemos citar várias vantagens desse revestimento, como:

  • melhoria da evacuação do produto de dentro da embalagem, podendo utilizá-lo em 100%;
  • melhoria da eficiência no processamento do produto, reduzindo os ciclos de limpeza necessários nos equipamentos;
  • produto mais sustentável, já que diminui a quantidade de lixo, uma vez que, em média, 25% deixam de ficar impregnados nas embalagens comuns;
  • redução do material de embalagem, já que não há necessidade de adicionar acessórios como tampas sofisticadas ou sistema “pump”;
  • possibilidade de criação de diferentes designs de embalagens.

O revestimento é feito para diferentes materiais. A dependência é qual será sua aplicação. Portanto, para cada produto específico, é necessária uma nova pesquisa para definir os materiais. Já houve desenvolvimento para a aplicação em vários alimentos como: condimentos, mel, bebidas carbonatadas, iogurtes, maionese, geleias etc.

Um dos aspectos mais relevantes dessa novidade para os dias atuais é a possibilidade de retirar 100% do produto de dentro da embalagem, o que vai ao encontro de técnicas sustentáveis e evita o desperdício de alimentos e de outros produtos. Nos Estados Unidos, fez-se uma estimativa de que, se todas as embalagens de molhos/condimentos utilizassem esse revestimento, um milhão de toneladas de alimentos seria salvo por ano.

Compartilhe:

Para mais informações, entre em contato conosco!
Este site é protegido pelo reCAPTCHA e pelas Políticas de Privacidade e Termos de Serviço do Google.