BONITO é ser sustentável

Assunta Napolitano Camilo

Fiz a feliz opção de visitar a cidade de Bonito no Mato Grosso do Sul em dezembro de 2021.

Fiquei positivamente surpresa. Uma das melhores estruturas de Turismo que conheci: agencias, hotéis, parques, restaurantes, lojas com guias e equipes preparadas que sempre atendiam com atenção e vontade de entregar a todos uma excelente experiencia.

Por toda a cidade, flamboyants e acácias frondosos e floridos eram um espetáculo a parte. Nos parques dezenas de espécies de pássaros e animais encantam a todos, principalmente as araras vermelhas e azuis com um balé especial pelo céu todos os dias.

Muitos hotéis e residências já adotando energia solar e outras medidas para redução de impacto ambiental como a separação cuidadosa dos resíduos sólidos. Conhecia muitos tipos de containers como caçambas para a coleta de resíduos, principalmente em áreas rurais aonde fica inviável a coleta dos resíduos de porta a porta, é comum adotar se postos (locais) com caçambas para a entrega voluntária. Já havia visto os mais diferentes modelos desde alvenaria a caixas de madeira, porem foi a primeira vez que vi a adoção de containers flexíveis. Isso mesmo, utilizam, big bags já usados montados em estruturas simples de ferro aonde eles ficam abertos, prontos para receberem os resíduos. Ainda têm um só tipo de container para todos os tipos de embalagens que possam ser recicladas.

Obviamente que examinei vários deles e notei que a população entendeu os ícones que explicam o que pode e deve ser deixado ali. Adorei a proposta: reutilizam os big bags que seriam descartados, os containers são leves e fáceis de serem recolhidos, economizam e   resolvem a questão.

Na parte urbana têm containers menores e tradicionais, e em quase todos os lugares.

Algumas lojas entregavam os objetos em saquinhos de papel kraft fechados com um palito de madeira!

Chamou-me a atenção a decoração das ruas principais da cidade com muitos objetos de arte produzido por artesões de lá fixados nas paredes, muros, postes e fachadas de lojas. Havia mosaicos e pinturas muito interessantes por toda parte.

A iluminação era um show: feita a partir de garrafas usadas, abertas no fundo com lâmpadas fixadas pelo bocal.

Notei então os copos das bebidas servidas eram também feitos a partir de garrafas alguns com fosqueamento e gravação. Até os copos para servir açaí e sorvete eram feitos a partir de garrafas.

Numa loja da Avatim, havia uma proposta para os clientes que devolvessem seus potes e frascos de vidros que teriam um desconto especial ou, poderiam levar um brinde: algum utensilio de vidro feito a partir deles mesmos. Imaginem minha alegria em ver uma proposta linda destas!

Procurei e descobri de onde vinham estes objetos: era da “Casa dos Vidros” um ateliê que recolhia garrafas e até mesmo copos quebrados e os ressignificava. Arte pela sustentabilidade. Maravilhosa iniciativa: lá fazem bijuteria, abajures, relógios, conjuntos de copos, xícaras, pires, pratinhos, e tantos outros objetos.

Transformar embalagens usadas através da arte é Sustentável de verdade e nos três pilares: ambiental, econômico e social!

Parabéns as várias iniciativas e que cresçam,  floresçam e façam o mundo cada vez mais Bonito!

Compartilhe:

Para mais informações, entre em contato conosco!
Este site é protegido pelo reCAPTCHA e pelas Políticas de Privacidade e Termos de Serviço do Google.