InterPack aponta para a inovação na indústria de papel- cartão

Quem esteve na Interpack — grande feira de embalagens realizada em Dusseldorf, Alemanha, de 8 a 14 de maio, constatou o aumento da importância da impressão digital para todos os tipos de substratos e embalagens e a sofisticação com a utilização de diversas técnicas de enobrecimento. Chamou também a atenção a impressão direta em garrafas, eliminando a necessidade de rótulos e da operação de rotulagem. As novidades e inovações foram inúmeras. Procuramos neste artigo apresentar aquelas que consideramos mais relevantes.

A ProCarton, associação que congrega fabricantes de papel-cartão e indústria gráfica da Europa esteve presente, destacando a embalagem ChocOle, da DeBeukelaer, vencedora do Carton Award 2013, peça no formato de um tubo que, ao se deslocar a parte superior, transforma-se em dois copos (pote) para o consumo dos palitos de chocolate. Toda em papel-cartão, a parte interna possui proteção com laminação em alumínio. A ProCarton promove cursos, seminários e premiação anual para as melhores embalagens feitas em papel, papel-cartão ou micro-ondulado, desenvolvendo trabalho similar a Bracelpa, que também destaca as vantagens das embalagens de papel-cartão.

A indústria gráfica italiana Seda trouxe inovações na utilização do papel-cartão. Criou uma embalagem para sorvete em 100% papel tanto no copo/pote como na tampa, que anteriormente era formada com plástico para dar estrutura. Os copos para refrigerante também ganharam o reforço de duas camadas para manter a temperatura durante a sua utilização. Outra versão desses copos permite a realização de promoções pela facilidade de anexar cupons ou brindes na arte de decoração dando ênfase às questões promocionais. Além disso, criou um coating especial para embalagens a serem utilizadas em micro-ondas.

A Stora Enso desenvolveu o MediaLiner, liner para laminar micro-ondulado, que deixa uma superfície ótima para impressão com um toque agradável. Essa inovação é voltada para a indústria de displays e “retail ready packaging” (embalagens prontas para irem para as prateleiras). Outra novidade foi o Cupforma, um papel-cartão com revestimento de PE verde que pode ser produzido com 100% de matérias-primas renováveis. Esse cartão é indicado para potes de sorvete e copos para micro-ondas. Com esse mesmo produto, a empresa elaborou, em parceria com a AR Packaging, embalagens de doces com aberturas e designs diferenciados. A Stora Enso também promoveu um concurso de design destinado a estudantes que foram desafiados a criar uma embalagem de papel para itens de higiene semelhantes aos de viagem. As ideias apresentadas foram bastante criativas.

A MM Carton esteve presente institucionalmente e também apostou na arte para chamar atenção, apresentando um painel de vinte metros quadrados criado por um artista plástico japonês que montou um mosaico especial a partir de embalagens de papel-cartão, gerando um efeito lindíssimo! Além disso, mostrou também uma série de embalagens conceituais com propostas realmente interessantes. No estande da Sappi a atração foi um vestido todo feito com embalagens de papel, incluindo o sapato e a bolsa. A empresa lançou na feira dois novos papéis: o Leine Guard M e o Algro Guard M, ambas as soluções para barrar a migração de óleos minerais provenientes da tinta que não é totalmente retirada durante a reciclagem. Esses óleos migram para os alimentos e representam uma preocupação para a saúde.

A K. Knauer (que no Brasil será representada pela FuturePack) trouxe suas embalagens com efeitos especiais para encantar os visitantes. Nos últimos dois anos recebeu mais de 30 prêmios nacionais e internacionais pelos desenvolvimentos diferenciados que propõe e ganhou o título de empresa mais inovadora do ano. O destaque foi o Gin Bombay, com uma caixa em cartão que, quando manuseada, acende luzes e cria um efeito maravilhoso. A Paper Foam apresentou soluções para construção de cartuchos ou caixas em celulose termoformada. A Bosch anunciou que comprou o negócio da Ampac de paper bottle e paper can, ampliando as opções para bebidas prontas para servir. A alemã Weidenhammer trouxe a composite can (“latas” compostas por fibra) com nova membrana de abertura (peel off) para produtos perecíveis e sensíveis ao O₂. A Promens mostrou várias embalagens híbridas para laticínios, como margarina, iogurtes, sorvetes e afins, nas quais o papel-cartão faz a estruturação e uma fina camada de plástico a impermeabilização. O cartão, na parte externa, tem um zíper que permite que os dois materiais sejam facilmente separados antes de irem para a reciclagem.

AS EMBALAGENS FARMACÊUTICAS TIVERAM DESTAQUE

A fabricante sueco-finlandesa Stora Enso e a Chalmers University of Technology de Goteborg, da Suécia, por exemplo, desenvolveram uma embalagem inteligente projetada para simplificar a comunicação entre pacientes e médicos. A embalagem grava precisamente quando um comprimido é removido. Se a prescrição do médico não for observada, o paciente recebe um lembrete sem fio retransmitido para um telefone celular, por exemplo. Contra a falsificação, Agosto Faller, fabricante de embalagens para produtos farmacêuticos, desenvolveu códigos de barras com série alfanumérica e códigos de matriz de dados para as caixas dobradas e os rótulos, codificando em série os materiais da embalagem. O especialista usa a tecnologia de jato de tinta e imprime nas embalagens as informações do produto em série, permitindo assim rastrear os remédios para retornarem ao fabricante. O crescimento da demanda por soluções

de identificação para os próximos anos deve ser esperado. A securPharm, organização guarda-chuva de cinco associações de distribuição de produtos medicinais, pretende estabelecer um sistema baseado em códigos de matriz de dados para elevar a proteção contra os medicamentos falsificados. A ideia é que os fabricantes dos medicamentos tenham cada embalagem como única, imprimindo-a com um código de dados exclusivo. A Edelmann trouxe várias soluções para embalagens de medicamentos, incluindo a famosa “carteira” que possibilita que seja levada mais facilmente, tanto no bolso da camisa quanto na bolsa.

IMPRESSÃO DE EMBALAGENS

Sem dúvida, a impressão e a decoração digital das embalagens foram um dos aspectos mais importantes da feira. Além de identificar um produto, a impressão permite que haja a diferenciação entre as marcas e os produtos. Por isso, esta edição da InterPack reuniu as mais importantes empresas de equipamentos para impressão, como Comexi, Bobst e Durst; no entanto, o grande show ficou por conta da americana Hewlett Packard, a HP. Desde a entrada da feira até o 13‒o pavilhão, havia chamadas para as intervenções artísticas, como o exemplo de um “show” que destacou a potência dos seus equipamentos. A empresa também apresentou sua nova geração de impressoras digitais séries 10000, 20000 e 30000. Os equipamentos rodaram e imprimiram durante toda a feira embalagens e rótulos em substratos flexíveis e em papel-cartão. No mesmo estande marcou presença a israelense Scodix, com soluções de enobrecimento digital, como relevos, vernizes poliméricos, glitter, entre outros efeitos disponíveis para a indústria de embalagens. Sem dúvida, as embalagens que apresentarem melhorias nos aspectos de impressão, forem mais leves, com as maiores barreiras e produzidas com mais eficiência, serão as que permanecerão no futuro. Paralelamente aos dias de visitação da Interpack, a World Packaging Organisation (WPO) entregou os prêmios para as melhores embalagens mundiais. O Brasil esteve entre os contemplados e a FuturePack, que conquistou o troféu de Melhor Embalagem do Ano em 2013, recebeu o prêmio pelo projeto da champanheira de papel-cartão desenvolvido para a Salton.

Compartilhe:

Para mais informações, entre em contato conosco!
Este site é protegido pelo reCAPTCHA e pelas Políticas de Privacidade e Termos de Serviço do Google.